Opinião.20 Nov 2014

Web Personalizada

O surgimento das redes sociais modificou a forma como utilizamos a internet, habituámo-nos a "seguir", "gostar", "partilhar" e quase sem nos apercebermos fomos construindo um perfil de utilizador que vai muito além do universo das redes sociais. Estranhamente o Google devolve-nos resultados de pesquisa com recomendações que encaixam nas nossas áreas de interesse, as lojas online sugerem produtos que parecem adivinhar o nosso gosto. As empresas, atentas a estas mudanças, perceberam que os visitantes fidelizados são uma poderosa força de venda mudando as suas estratégias de web marketing de modo a colocar o foco no utilizador.

Apesar das vantagens do conteúdo gerado pelos utilizadores, existem alguns efeitos colaterais, nomeadamente o excesso de informação com que somos confrontados. Numa tentativa de minimizar o impacto do excesso de informação, tanto criadores de conteúdos como developers terão de encontrar formas da informação relevante para o utilizador ir ao encontro deste, em vez de ser o utilizador a procurá-la.

Muitos afirmam que o futuro da web será fortemente influenciado pelo crescimento do mercado mobile e dos serviços de geolocalização, apesar de plausível esta visão é apenas uma pequena parte do panorama global, composto pela personalização da web e pela informação e comunicação em tempo real.

A informação em tempo real é já uma realidade e um forte argumento não só para captar o interesse dos utilizadores como para motivá-los a regressar - Ex:http://yesiamprecious.com. As soluções que disponibilizam informação em tempo real devem focar-se no utilizador, no browser e nos dispositivos que estes utilizam para visitar sites. O suporte dos browsers ao HTML5 Canvas facilita o desenvolvimento de soluções sem recorrer a plug-in?s, embora existam ainda algumas limitações comparativamente ao Flash. Neste processo deve ser dispensada especial atenção ao tipo e volume de informação a disponibilizar, de modo a otimizar a performance dos sites. É importante que o processamento seja, sempre que possível, mantido do lado do servidor, libertando o dispositivo do utilizador dessa tarefa, desta forma só estaremos a enviar informação que é útil ao utilizador otimizando também a velocidade do site.

Há organismos que optam por personalizar a navegação e os conteúdos em função do perfil de utilizador, embora esta abordagem possa apresentar algumas vantagens, envolve também o risco de afastar alguns utilizadores. Para que funcione corretamente os perfis devem ser suficientemente detalhados antes de criar as regras para cada utilizador tipo.

A recente tentativa da Google em adquirir a empresa de descontos Groupon, consequência do sucesso alcançado pelo mecanismo de geolocalização da mesma, torna evidente que este é o caminho a seguir. Além da otimização do site para dispositivos móveis, ou da criação de aplicações, devemos também procurar disponibilizar os nossos serviços ou produtos em função da sua localização.

Independentemente das vantagens dos sites atuais, e dos sites personalizados terem ainda um longo caminho a percorrer, é evidente que fornecer o mesmo conteúdo a todos os utilizadores em breve deixará de ser suficiente...

Jorge Mendes