Opinião. 6 Jul 2011

Uma nova rede social, ou espécie de...

Após cerca de um ano de trabalho em absoluto sigilo chega finalmente da parte da Google um novo conceito de rede social para apresentar aos internautas.

Depois do Google Buzz ter ficado aquém das expectativas sobretudo quando o objectivo era poder competir de forma equilibrada com o rival Facebook, a Google não desiste e arrisca mais uma vez, aproveitando também o decrescendo de popularidade de algumas redes sociais (Myspace por ex.).

Segundo a empresa líder de pesquisas, não se trata de um mero serviço social mas sim de uma espécie de complemento a toda a plataforma Google, assim se justifica o nome para o novo produto: "Google +".

Mas poderá realmente esta nova rede social ser um adversário à altura do Facebook? Conhecendo as capacidades da Google não seria de todo inesperado que tal acontecesse até porque o serviço de Mark Zuckerberg contém alguns aspectos negativos para os utilizadores. A possibilidade de facilmente se criar um perfil falso (de uma celebridade por exemplo), além das frequentes alterações no funcionamento da conta do utilizador que acontecem sem que este seja avisado, são alguns exemplos.

Por seu lado o Google + aposta ainda numa maior privacidade e segurança de dados . É possível ao utilizador 'X' pertencer a um círculo de amigos do utilizador 'Y', sem que seja obrigatório ao utilizador 'Y' pertencer a determinado círculo de amigos do utilizador 'X'. Isto porque existe a opção de criar grupos de amigos separados (ex.: Trabalho, Faculdade ). Além disso cada vez que o utilizador pretende partilhar algo pode decidir quais os círculos de amigos que poderão ver a informação partilhada.

Existem ainda várias funcionalidades onde se destacam a ferramenta 'hangouts' que permite uma interessante videoconferência em grupo ou a área de pesquisa 'sparks' que engloba formas de pesquisa na internet cujos formulários estão directamente embebidos na plataforma Google +.

Actualmente apenas é possível aceder à ferramenta através de convites disponibilizados pela empresa a personalidades e jornalistas do mundo da informática, mas espera-se que dentro de meses o serviço possa ser acedido por qualquer pessoa.

É possível assistir a uma demonstração do produto em http://www.google.com/+/demo/

Tony Oliveira