Opinião.28 Mar 2013

Um momento que faz a diferença

Estar atualizado e ser inovador nem sempre é sinónimo de sucesso, sobretudo num mundo tão competitivo como o empresarial, mas sabendo que por vezes é necessário correr riscos, ultrapassar limites e dar o passo seguinte, o timing pode ser um fator diferenciador onde os custos da análise de risco irão certamente trilhar o caminho do sucesso.

São tantos os fatores associados ao sucesso que passaria o resto do texto a enumerá-los, no entanto hoje irei focar-me apenas num, o "timing".

A definição de "timing", na versão portuguesa, significará algo como "momento" ou "escolha do momento".
O momento de apresentação de um produto ou de uma ideia pode significar tanto do seu sucesso como do seu fracasso. Por exemplo, antes do iPad ser uma das estrelas da Apple, outras empresas, como a Microsoft, já se tinham aventurado nesse mercado.

O nome do produto, as suas dimensões e o preço poderão ser algumas das razões a apontar, mas a principal, para mim, será o momento em que eles foram apresentados. Estaria o mercado aberto a tais produtos? Se pensarmos que a grande maioria das pessoas ainda não tinha computador pessoal, imaginá-las com um tablet talvez não passasse disso mesmo, imaginação.

A verdade é que as coisas evoluíram, os computadores pessoais tornaram-se ainda mais comuns em escritórios, ao ponto de hoje quase não se viver sem eles, em escolas, em casa de qualquer cidadão. Com a massificação do computador pessoal seguida da do computador portátil, a procura de novos produtos levou à reinvenção/reintrodução dos tablets. Estes foram apresentados num momento em que o mercado estava maduro e pronto para receber um "brinquedo" novo e como tal, singrou.

Este exemplo não passa disso mesmo e, tal como tudo, será passível de discussão, mas serve para demonstrar que o "timing" pode fazer a diferença.

Ricardo Lage