Opinião.24 Jul 2015

Quanto vale uma selfie?

Nestes últimos anos a área de pagamentos móveis tem estado particularmente ativa, com as grandes marcas a apostarem forte em inovação e com o aparecimento de marcas até agora desconhecidas, ou quase, a conquistarem alguma quota de mercado com as suas soluções.

A última novidade foi anunciada recentemente pela MasterCard. Pagamentos através de selfies! Fazendo aqui um pequeno desvio no tema deste artigo, é interessante verificar esta tendência de passarem a ser as modas de alguns grupos populacionais a ditar as inovações de mercado. Neste caso há aqui um claro piscar de olho da MasterCard às gerações mais novas que documentam todas as suas atividades através de selfies, individuais ou coletivas, para depois serem partilhadas nas redes sociais.

Mas voltemos às selfies e aos pagamentos.

Neste novo modelo de pagamentos da MasterCard não se trata de uma simples selfie. A aplicação em desenvolvimento pela MasterCard usará a câmara fotográfica dos smartphones para efetuar o reconhecimento de dados biométricos do utilizador, através da impressão digital ou do reconhecimento facial. Neste último caso será necessário que o utilizador pisque os olhos algumas vezes para que a aplicação consiga detetar, pelo padrão, se está em presença de um ser humano, de uma foto ou de uma máquina. No caso da impressão digital ainda não se conhece a forma como a aplicação irá efetuar verificação semelhante.

A MasterCard promete entrar em testes com esta nova aplicação em breve e já estabeleceu parcerias com os principais fabricantes, como a Apple, a Google ou a Microsoft, de modo a garantir que a aplicação será transversal às várias plataformas existentes.

Esta solução levanta alguns problemas de segurança e de confidencialidade dos dados pessoais dos utilizadores da aplicação. No caso das impressões digitais a Mastercard afirma que a impressão digital será codificada antes de ser enviada pela aplicação. Já no caso da selfie a foto terá mesmo de ser enviada pela aplicação para que possa ser reconhecida pelos servidores da MasterCard. E tudo o que envolve envio de dados é vulnerável. Recorde-se que na solução da Apple, por exemplo, o reconhecimento da impressão digital é realizada pela própria aplicação não havendo transmissão de dados. Teremos de aguardar para ver como a MasterCard planeia tornar esta solução segura.

Esta ideia de usar reconhecimento facial para autenticar pagamentos não é propriamente nova, uma vez que a Google já fez uma primeira tentativa de utilização de selfies no passado. Mas parece que é desta que vamos ficar todos a saber quanto pode valer a nossa selfie.

Fernando Pina