Projeto Spartan

Opinião.30 Jan 2015

Projeto Spartan, o novo browser da Microsoft

Na semana passada, dia 21 de Janeiro, a Microsoft apresentou oficialmente a nova versão do seu sistema operativo, o Windows 10.
Como seria de esperar, este recente SO revela algumas novidades, entre elas está o regresso do tão esperado "Menu Iniciar" que inclui ainda um prático espaço de personalização de aplicações, programas e zona de favoritos. Podemos contar ainda com a inclusão do assistente virtual "Cortana" já presente no Windows Phone, melhorias no alinhamento de janelas, novo botão de "Vista de Tarefas", vários ambientes de trabalho virtuais em simultâneo e com um novo browser. Pois é, parece que a Microsoft decidiu desenvolver um "substituto" para o Internet Explorer.

De nome Spartan (figura guerreira do jogo Halo), este novo navegador foi desenvolvido na mira dos seus dois grandes rivais, o Chrome da Google e o Firefox da Mozilla Foundation. O Spartan é mais leve, flexível e funcional que o seu antecessor, com um consumo mínimo de recursos e projetado para funcionar bem com toda a família de dispositivos do Windows 10.

Com este navegador vai ser possível:

  • Efetuar anotações diretamente no browser sem a habitual necessidade de uma caneta digital e partilhar, através do OneDrive, a página ou partes dela com os respetivos comentários;
  • Obter ajuda nas pesquisas através da integração do assistente virtual Cortana;
  • Usar o "modo de leitura" para formatar as páginas de forma a que estas fiquem mais "limpas", replicando a ideia de texto básico existente nos livros;
  • Criar uma lista de leituras sincronizadas entre todos os dispositivos com a capacidade de ler em modo offline ou até aceder a conteúdos em PDF.


O Spartan apresentará ainda um novo motor de renderização (EdgeHTML), separado do Trident (MSHTML) que impulsionou o Internet Explorer durante décadas, de modo a aproximar-se às reais necessidades e standards da web atual.
Então mas o que é que acontece a sites compatibilizados com versões anteriores? Ao que parece isso não vai ser um problema. A fim de assegurar a compatibilização, a Microsoft projetou uma abordagem de dual-engine. Ou seja, tanto o novo motor de renderização como o Trident podem ser carregados.

Então mas o que é que acontece a sites compatibilizados com versões anteriores? Ao que parece isso não vai ser um problema. A fim de assegurar a compatibilização, a Microsoft projetou uma abordagem de dual-engine. Ou seja, tanto o novo motor de renderização como o Trident podem ser carregados.

Segundo a Microsoft, a atualização para o Windows 10 é gratuita durante o primeiro ano de comercialização e pode ser adquirida por todos aqueles que tenham o Windows 8.1, Windows Phone 8.1 e também o popular Windows 7.

Como prometido, para todos os que estão inscritos no "Insider Program" ou para os que o quiserem fazer, já é possível testar algumas das novidades apresentadas na versão "technical preview" deste sistema operativo.

Entretanto surgiram alguns rumores sobre a possibilidade de o Spartan ser no futuro integrado também no Windows 7, para já o foco de todos os desenvolvimentos está centrado na nova versão.

O lançamento de um novo navegador vem fornecer toda uma nova experiência aos utilizadores, se bem que muitas das funcionalidades não são assim tão admiráveis. Ainda assim vamos esperar que o Spartan contrarie a queda relevante de uso do seu antecessor, o Internet Explorer.

Catarina Acúrcio