Opinião.28 Mar 2012

Pressão vs Inovação

Esta história é comum à grande maioria das empresas e das equipas de projeto. Todos nós já passámos por ela, provavelmente alguns de nós já fomos responsáveis diretos por este rumo de acontecimentos.

De vez em quando aparece um projeto que parece perfeito para inovar. Seja em que área for. Nos métodos de análise, nos processos de desenvolvimento, na relação com o Cliente, na execução de testes e produção dos respetivos relatórios...
A equipa de projeto é escolhida a dedo, os melhores de cada área, todos altamente motivados, todos ansiosos por aprender e implementar novos métodos de trabalho, todos empenhados na inovação.

As primeiras reuniões de projeto são uma maravilha. O entusiasmo é contagiante. As ideias surgem em catadupa e cada discussão em torno de uma ideia gera novas ideias. A relação com o Cliente é ótima, a melhor de sempre, já que o ânimo da equipa de projeto contagia o Cliente que sente que o seu projeto está a merecer uma atenção que ele nunca supôs possível.

Mas mais cedo ou mais tarde começam os problemas. Normalmente quando entra em cena o elemento da equipa de projeto que até então esteve ausente. A pressão. Quer se trate dos prazos, do orçamento, de outros projetos a requerer disponibilidade dos elementos da equipa ou do Cliente a pedir resultados depois de todo aquele entusiasmo inicial. A pressão mata toda e qualquer tentativa de inovação. Quando a pressão se começa a fazer sentir todos nós fugimos para aquilo que conhecemos melhor, todos fazemos o nosso trabalho como sempre o fizemos, porque apostar no desconhecido tem associado um risco que, a maior parte das vezes, não podemos correr.

É raro, muito raro, o projeto que resiste à pressão e que na altura mais crítica não abre mão de todos os objetivos iniciais para garantir o resultado final. E o mais estranho é que todos sabemos que quando a equipa resiste à pressão e se mantém firme no caminho delineado no início os resultados são melhores e os ganhos para a empresa e para futuros projetos são enormes.

Mas para esta decisão ser tomada é necessário que os responsáveis pela empresa e pelo projeto tenham uma noção clara, desde o início do projeto, de todas as forças que afetam o projeto e do ponto de equilíbrio que tem de ser atingido para que tudo corra bem. A equipa de projeto tem de ser protegida de todos os agentes exteriores e a empresa tem de tomar esta aposta como sua e não apenas do responsável do projeto.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Fernando Pina