Opinião.14 Nov 2014

Pagamentos móveis

A SIBS acaba de lançar a sua solução de pagamentos móveis, o MB Way.

Esta solução permite efetuar compras e transferir dinheiro através da indicação do número de telemóvel, sendo o pagamento confirmado na aplicação instalada no smartphone através da introdução de um PIN.

A grande vantagem desta solução, à semelhança de outras soluções de pagamentos móveis, está no facto de não ser necessário partilhar nada físico no momento do pagamento. Em termos de tempo e de segurança a solução é equivalente à utilização do vulgar cartão Multibanco.

As soluções de pagamentos móveis estão ainda muito no início e ainda geram muita desconfiança, principalmente nas faixas etárias mais avançadas. Mas tanto os principais fabricantes de smartphones, como os bancos, como até as principais cadeias comerciais iniciaram um trajeto que parece não ter retorno possível. Os smartphones vão num futuro muito próximo incorporar as informações dos cartões de débito, de crédito e de pontos das mais variadas lojas, substituindo os retângulos de plástico que atualmente nos enchem as carteiras.

Não deixa de ser curioso que passados poucos anos de um forte investimento em cartões chip e até mesmo contactless os cartões plásticos possam desde já ser considerados como em vias de extinção. Talvez não nos próximos dois ou três anos, mas certamente daqui a cinco ou dez. O anúncio do Google Wallet ou, mais recentemente, do Apple Pay são mais um passo neste sentido.

E os pagamentos móveis são também uma clara aposta de grandes cadeias comerciais, como por exemplo a Amazon, que chegam a criar as suas próprias moedas virtuais numa tentativa de fidelizar clientes e de aumentar as respetivas quotas de mercado.

As soluções de pagamentos estão cada vez mais cómodas e simples, e as preocupações de segurança e privacidade que tínhamos há 10 ou 20 anos atrás foram rapidamente postas para trás das costas em nome da comodidade de podermos fazer tudo com um gadget que nos cabe na palma da mão. As nossas vidas estão cada vez mais tecnológicas e automáticas. Claro que isto tem um preço; as nossas vidas estão também cada vez mais sós, sendo mais o tempo que gastamos a "falar" com máquinas do que com pessoas. Mas este poderá ser um tema para outra conversa. Para já saudemos as inovações tecnológicas dos pagamentos móveis, que independentemente do preço social a pagar nos simplificam a vida na hora de efetuar pagamentos, seja em lojas, seja online.

Fernando Pina