Opinião.12 Dez 2014

O novo 'No CAPTCHA' reCAPTCHA da Google

O reCAPTCHA tem como objetivo criar um contexto de diálogo entre humanos e máquinas, para que a máquina se certifique que está realmente a interagir com uma pessoa e não outra máquina. Surgiu como CAPTCHA quase a par com a internet como medida preventiva de spam e acesso indevido a websites. Qualquer utilizador da web já necessitou certamente de descodificar texto em imagens distorcidas (algumas quase imperceptíveis) para poderem confirmar que são humanos e não um algoritmo criado com a intenção de destabilizar o normal funcionamento de um site.

Após a Google ter adquirido o sistema de CAPTCHAS em 2009 rebatizou-o com o nome sugestivo "reCAPTCHA". Conferiu-lhe um funcionamento em que o objetivo era naturalmente o mesmo (verificar que determinado acesso a determinado website está a ser realizado por uma pessoa) mas o método utilizado era ligeiramente diferente e mais interessante. Os utilizadores passaram a ter que descodificar duas palavras ao invés de uma, sendo que uma delas era proveniente de manuscritos antigos cuja informação textual ainda não tinha sido convertida para formato digital. Assim o utilizador não só confirmava que não era uma visita suspeita como além disso também estava a ajudar à digitalização de obras textuais.

Contudo estudos recentes mostram que algoritmos mais sofisticados (e que podem ser usados indevidamente) conseguem resolver CAPTCHAS com uma taxa de sucesso de cerca de 99.8%, tornando esta solução ultrapassada. Isto aliado ao facto da Google querer simplificar o processo de reconhecimento, fez com que desenvolvesse um novo sistema de verificação que requer do utilizador apenas um clique, daí o nome "No-CAPTCHA reCAPTCHA" Na grande maioria dos casos essa simples ação e respetiva análise é suficiente para comprovar que o utilizador é uma pessoa.

O CAPTCHA tradicional não será totalmente posto de parte, pois a análise da ação de clique na checkbox poderá não ser suficiente para o sistema comprovar que o acesso está a ser realizado por uma pessoa. Assim para obter um maior nível de certeza é mostrado ao utilizador um CAPTCHA. Aqui também existem desenvolvimentos já que em vez da tradicional imagem com texto distorcido, é pedido que se resolva um pequeno "quebra-cabeças" que seguramente será mais desafiante e agradável de resolver. Isto se for uma pessoa claro.

http://googleonlinesecurity.blogspot.pt/2014/12/are-you-robot-introducing-no-captcha.html

Tony Oliveira