Opinião.27 Jun 2013

O fim do Google Reader!

Na próxima 2ªfeira, dia 1 de Julho, chega ao fim o serviço Google Reader, lançado em 2005 e considerado por muitos como o melhor agregador de feeds RSS. Conhecido e apreciado pela sua simplicidade, layout leve e facilidade de utilização, com o passar dos anos foram estas mesmas vantagens que se tornaram em desvantagens e deixaram de atrair os utilizadores.

Os RSS, muito usados em sites de notícias e blogs, permitem aos utilizadores subscreverem os feeds e lerem todas as atualizações num só site, de forma simples e rápida. A verdade é que o aparecimento e evolução das redes sociais também permitiu e permite isso. Os jornais partilham as últimas notícias no Twitter, as marcas publicam as últimas novidades no Facebook e os bloggers contam as suas peripécias no Tumblr. Os utilizadores podem estar a par de tudo quase no exato momento em que acontece, fazer gosto, partilhar e discutir o assunto de imediato. E tal como acontece com os agregadores de feeds também nas redes sociais os utilizadores só seguem as marcas/empresas que desejam. A informação é atualizada constantemente e de uma forma bem mais apelativa e interativa. Tudo isto a qualquer hora do dia, em qualquer lugar, através dos seus PCs, Tablets e Smartphones.

A Google parece querer apostar forte na sua Rede Social e muito provavelmente levar os utilizadores do Google Reader a utilizar o Google+ como agregador das notícias que pretendem ter sempre à mão, com as vantagens da interação e partilha que as redes sociais possuem.

Existem outros agregadores de feeds para além do Google Reader e a própria Google disponibiliza o seu serviço Google Takeout para que os utilizadores transfiram a informação do Google Reader para um outro agregador.

Mas a pergunta que agora se coloca é, será que o facto de uma empresa como a Google ter deixado há algum tempo de apostar na melhoria deste serviço e ter decidido mesmo encerrá-lo significa que a importância da presença do RSS nos sites também está a chegar ao fim?

Vera Libânio