Opinião.21 Fev 2011

Metodologia em Print Design

Quando nos é proposto um projecto de print design, ou seja, um projecto que tem como destino final a impressão e distribuição institucional e/ou publicitária, é nosso dever assegurar que todo o conteúdo criativo estará presente e correctamente projectado, revisto e impresso.

Alguns Clientes preferem deixar a cargo das agências de comunicação todo o processo de preparação e contacto com as gráficas para produzirem o material pedido.

Inicialmente é apresentado o orçamento para a criação das peças gráficas, mas é também nesta fase que se deve perceber qual o investimento que o Cliente pretende dispor para todo o projecto, isto porquê?
É fácil perceber que todas as escolhas gráficas nestes projectos são pensadas para ser, no final, impressas.
O formato, o número de cores utilizadas, o papel escolhido ou mesmo o processo de impressão e acabamentos especiais podem vir a encarecer o trabalho. Por esta razão, é crucial a comunicação entre o Cliente e a agência de comunicação.

Habitualmente, as gráficas utilizam diferentes softwares com diferentes configurações das que utilizamos, sendo por isso conveniente preparar as artes finais para impressão.
São vários os procedimentos, desde o básico (miras de corte, marcas de registro…) até à preparação para verniz localizado e conversão de cores. O objectivo é minimizar a possibilidade de erros na fase de impressão.

Outro factor de igual importância é a relação que a agência tem com as gráficas com que trabalha.
De forma simplificada, nós desenvolvemos e preparamos os catálogos, as embalagens, flyers, brochuras, etc.., mas é a gráfica que produz. A comunicação que temos com as gráficas garante o acompanhamento do trabalho até à sua forma final.

A verdade é que se somos profissionalmente competentes para criar e desenvolver, também esperamos que as gráficas o sejam na sua área, a de produção. A maioria coopera com as agências de comunicação, podendo aconselhar uma nova técnica ou um novo material. É claro que cabe igualmente ao designer saber que materiais ou técnicas dispõe para os diversos trabalhos, mas uma boa arte final depende em parte da relação entre ambas as partes.

No final, os objectivos são os mesmos. Todas as partes envolvidas pretendem resultados positivos. O Cliente que quer que o seu projecto "brilhe" entre os restantes, a gráfica que ganha prestígio e nome por ter produzido um trabalho único e a agência que, mais uma vez, soube interpretar, criar e desenvolver uma ideia que no final ganhou identidade própria.

Catarina Acúrcio