Marketing de Guerrilha

Opinião. 9 Fev 2012

Marketing de Guerrilha

Começou por ser utilizado pelas empresas mais pequenas como forma de comunicar com um orçamento reduzido. Hoje em dia o Marketing de Guerrilha é usado por todo o tipo de empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes. Isto porque os resultados são melhores do que os do marketing tradicional, que se encontra saturado, e o investimento é menor.

No Marketing de Guerrilha a palavra de ordem é Surpreender. Chamar a atenção do consumidor, fazê-lo pensar, interagir com ele, levá-lo a falar do que acabou de ver gerando worth-of-mouth.

Neste tipo de marketing, por norma, não são necessários grandes investimentos, estes são substituídos pela criatividade. O objetivo é causar impacto, gerar buzz, o que leva a uma publicidade instantânea sem ser preciso comprar espaço nos media. Este impacto também é causado devido ao caráter inesperado, ousado, emocional das ações de Marketing de Guerrilha. Muitas vezes estas ações acabam por ser faladas de forma espontânea nos grandes media, acabam por ser notícia por serem tão diferentes e inovadoras.

É necessária bastante criatividade para criar uma ideia diferente que surpreenda um público habituado a ser "bombardeado" diariamente por publicidade nos mais diferentes locais e suportes publicitários. Se a ideia for boa e conseguir o seu objetivo a marca ficará com uma imagem muito positiva e duradoura na mente do consumidor. É preciso conquistar e seduzir os consumidores.

Mas o feitiço pode virar-se contra o feiticeiro. Nos dias de hoje qualquer deslize pode inverter o resultado da campanha. Assim como rapidamente se gera um buzz positivo mais depressa se gera um negativo e por isso é necessário ter toda a estratégia muito bem definida.

É caso para dizer que quem vai à guerra tem de saber quais as armas a usar e como usá-las.

Imagem (Lançamento do novo Peugeot 308) -
Agência Torke

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Vera Libânio