Opinião. 9 Jun 2010

Linha editorial do Portfólio?

Como seria de esperar numa empresa com uma forte componente de Design existe uma especial preocupação com a forma como a nossa imagem se desenvolve. Uma parte importante dessa imagem é comunicada através do Portfólio que vamos construindo ao longo do tempo.

Com o nosso Portfólio temos procurado passar os princípios que de certo modo aplicamos a todos os projectos. Esses princípios são essencialmente a criação de soluções simples, minimalistas por vezes e tão fáceis de compreender ou utilizar quanto possível.

No entanto existe também a preocupação de adicionar ao mesmo Portfólio soluções desenvolvidas para Clientes de reconhecida notoriedade. Como será fácil de comprender a credibilidade destas empresas atribui à One Small Step o estatuto de empresa com capacidade para executar determinados projectos. Os potenciais Clientes veêm nesse reconhecimento mais uma garantia de qualidade e capacidade para executar os seus projectos.

O dilema surge quando um Cliente com projecção ou reconhecimento público conduz o projecto de forma a que o resultado final acaba por ser uma solução com a qual não nos identificamos. Será a notoriedade de alguns Clientes mais eficaz a médio/longo prazo que um Portfólio consistente e fiel à linha gráfica que defendemos?

Em meu entender não, pois só respeitando a linha editorial que definimos para o Portfólio e em parte também para os trabalhos, é que conseguiremos fazer com que futuros Clientes saibam o que esperar de nós quando nos apresentam um pedido de desenvolvimento.

Jorge Mendes