Opinião.12 Mar 2015

Inovação

A inovação é aparentemente uma das fórmulas para o sucesso do nosso tecido empresarial, tanto é que nos deparamos diariamente nos meios de comunicação com novos apoios ou medidas que incentivam o investimento em projetos de cariz inovador. Mas o que torna um projeto inovador? E será que basta ser inovador para ter sucesso?

A inovação poderá ser medida nas vantagens que uma determinada solução apresenta relativamente à sua competição ou a uma geração anterior do mesmo produto ou serviço. Estas vantagens têm de ser evidentes e representar uma melhoria notória na vida dos potenciais interessados.

Mas mesmo admitindo que a ideia ou projeto são inovadores é imprescindível assegurar alguns aspetos para que possam vingar.

O público a que se destina precisa, antes de mais, saber que essa inovação é compatível com as suas necessidades e estilo de vida. Se uma inovação implica uma grande mudança no estilo de vida ou na forma de agir, ou se por outro lado requer a aquisição de produtos adicionais, o mais provável é não resultar. As inovações com maior sucesso são geralmente adotadas sem que os consumidores se apercebam disso, substituindo simplesmente um produto ou serviço por algo melhor. O iPad da Apple é um bom exemplo disso mesmo, mostrando um elevado nível de compatibilidade, logo desde o lançamento. Muitos utilizadores substituíram outros equipamentos, como smartphones ou laptops, para aceder à internet, ler livros, tirar fotografias ou fazer vídeos, pelo iPad.

A simplicidade de utilização é outro aspeto a considerar. A dificuldade em aprender a utilizar um novo produto ou solução vai afastar os consumidores. Quanto mais difícil for de utilizar mais resistência os utilizadores sentirão em adotá-lo, mesmo com outros benefícios evidentes.

Devemos também dar visibilidade às características inovadoras da solução, para que outros potenciais utilizadores constatem por terceiros os benefícios de adotá-las. Nem todos os utilizadores sentem o impulso de adotar um novo produto só porque é inovador, alguns precisam ganhar confiança vendo que outros o fizeram antes. Por isso esta visibilidade é mais do que criar a oportunidade dos potenciais consumidores verem outros utilizar estes serviços ou produtos. Podem ser comparações com outras soluções, colocando por exemplo um modelo de LCD mais antigo ao lado de um maior e mais recente, para evidenciar as diferenças de tamanho e resolução do novo produto.

Podemos mostrar o antes e o depois tornando evidentes as vantagens da nova solução ou encorajar os utilizadores que já adotaram a solução a promovê-la, escrevendo reviews ou atribuindo classificações em sites da especialidade.

Por fim, é necessário promover ou criar oportunidades para os consumidores testarem as soluções, captando potenciais interessados de modo a que possam constatar as vantagens de as adotar, quer seja com um test-drive, um período de testes, ou uma versão gratuita com funcionalidades limitadas. Esta é a forma mais eficaz de dar a perceber como podem melhorar o seu dia a dia antes de se comprometerem com a aquisição.

Jorge Mendes