Opinião.25 Jan 2010

Imagem Corporativa

Com a constante aceleração ao nível industrial e global, a identidade comunicacional tem vindo a ter um papel cada vez mais importante. A imagem das empresas tem sofrido alterações e evoluções imprescindíveis ao seu crescimento.

No geral, a comunicação resumia-se a uma mensagem persuasiva das vantagens de um determinado produto ou serviço mas com o crescente protagonismo das entidades e variedade de produtos no mercado, as empresas tiveram de mudar a sua estratégia comunicacional.
Entidades cuja imagem resultava de forma espontânea e passiva são agora intencionais e manipuladas conscientemente.

Criar uma identidade é definir características e objectivos acerca de uma empresa em função do contexto social em que esta se integra. Os ingredientes fundamentais excedem a representação visual, é preciso gerir e traçar estratégias de identificação institucional, garantindo a interacção da produção com a comunicação.

As diferentes formas de design são preponderantes no planeamento da identificação institucional. Este processo é constituído por um sistema de mensagens distribuídas por vários níveis de criação: nome, logótipo, sistemas de identificação visual e sistema cinemático/tridimensional.

Por norma o nome aparece como o primeiro plano de individualização institucional, sendo o logótipo a versão gráfica que reforça a sua individualidade e lhe confere novos significados.

Este é o elemento que deve ser pensado para ser imediatamente reconhecido e, como tal, deve apresentar marcas de clareza e simplicidade. Desde a concepção tipográfica à composição cromática o objectivo principal deve ser o elo de ligação com a empresa.
Mais importante do que uma boa representação é o facto de se transformar num fenómeno exterior perceptível e adquirir uma função identificadora única e poderosa face a todas as outras.

Catarina Acúrcio