Opinião.30 Jan 2014

GMAIL - Carregamento Automático das Imagens

"Uma imagem vale mais do que mil palavras" mas as empresas receiam muitas vezes completar os textos das suas newsletters com estas, pois na maioria dos leitores de email é necessário o utilizador descarregá-las para que a newsletter as apresente.

O Gmail decidiu resolver essa questão. Com a nova política de imagens, o Gmail passa a exibir todas as imagens da newsletter sem ser necessário o utilizador carregar na opção "mostrar imagens".
Esta opção levanta questões de segurança dos emails mas a Google garante a segurança e proteção das imagens ao disponibilizá-las através dos seus próprios servidores proxy, onde é analisada a existência de vírus ou malware.

Assim passa a ser possível que as newsletters tenham conteúdo mais completo e interessante para o público-alvo.

No entanto, esta mudança no tratamento de imagens traz outras consequências ao email marketing:

  • aumento da média e precisão de aberturas únicas no Gmail - quando o utilizador abre o email vê logo a informação por completo (texto e imagens), antes podia abrir várias vezes sem descarregar as imagens e sem as várias aberturas serem contabilizadas, deixam assim de existir aberturas ocultas.
  • contabilização de múltiplas aberturas condicionada - cada vez que o utilizador abre novamente o email e visualiza as imagens não há contabilização de aberturas, pois passa a contar apenas a primeira abertura.
  • perda de dados de geolocalização e IP do usuário - as imagens são armazenadas pelos servidores do Google deixando de existir dados do usuário. Contudo essas informações são também registadas e exibidas pelo Analytics quando o utilizador clica na imagem e é direcionado para o site da empresa.
  • impossibilidade de alterar as imagens dos emails após o envio dos mesmos - assim que o utilizador abre o email a primeira vez vê automaticamente as imagens, por isso dará conta de qualquer erro nas mesmas.

Teremos de continuar a dispensar atenção à inserção de imagens nas newsletters e não devemos passar do 8 para o 80, mas esta modificação na forma como são geridas vai tornar certamente as campanhas de email marketing mais eficientes e mais rigorosas em termos estatísticos.

Além disso é provável que os restantes sistemas de email (Hotmail, Yahoo, etc...) sigam a gigante Google, o que poderá tornar esta pequena mudança numa verdadeira revolução.

Vera Libânio