Opinião.19 Jul 2010

Evolução da linguagem

Na Internet não se fala apenas Português, Inglês ou outra língua cultural. Quem "usa" a Internet, fala em HTML, em CSS e em muitas outras linguagens. E embora Língua e Linguagem sejam coisas distintas, a verdade é que nas linguagens que se usam, também existem regras.

Todos os dias assistimos ao aparecimento de novos mecanismos e serviços no mundo da Internet. Para que tal seja possível, utilizam-se linguagens como o HTML e as CSS. Neste momento, as regras destas linguagens estão a mudar e estamos a assistir ao aparecimento do HTML5 e das CSS3.

O HTML5 será a nova versão do HTML, provavelmente, a mais importante porção de código interpretado pelos nossos navegadores (browsers).
Esta evolução irá permitir aos programadores criar novas e ainda mais impressionantes formas de apresentar o conteúdo ao utilizador. O objectivo principal será, no longo prazo, tornar o mundo web o mais parecido possível com o ambiente de trabalho que utilizamos todos os dias, Windows, Linux ou MacOS.

Um pouco mais adiantada do que HTML5 está a evolução das CSS que irá permitir mais e melhor formatação de estilos, o que irá, naturalmente, permitir uma experiência visual ao mais alto nível. Gráficos em 2D/3D, efeitos de rotação, movimento e transição, serão agora também possíveis com as CSS3.

Mas não se pense que tudo são vantagens. à data deste post, os browsers mais utilizados são:

IE8 - 15.7%
IE7 - 8.1%
IE6 - 7.2%
Firefox - 46.6%
Chrome - 15.9%
Safari - 3.6%
Opera - 2.1%

fonte - W3Schools

Isto significa que, embora as CSS3 já estejam a ser reconhecidas por alguns browsers e o HTML5 só chegue entre 2011 e 2012, o processo de adaptação a estas novas vantagens pelos utilizadores será lento, uma vez que os browsers mais antigos não reconhecerão muitos dos selectores agora introduzidos. E mesmo sendo disponibilizadas actualizações constantes, nem todos os utilizadores as instalam.

Em suma, está-se neste momento a assistir a uma das mais importantes revoluções e evoluções no mundo web. Devemos, utilizadores, programadores, empresas e clientes, apanhar este comboio e manter os nossos browsers actualizados para desfrutarmos deste novo mundo.

Ricardo Lage