Opinião.28 Nov 2014

Direito ao Esquecimento

A Internet tem demonstrado ser uma das invenções mais importantes de sempre. São vários os aspetos positivos que se podiam enumerar, mas não são estes que me trazem aqui hoje.

Um dos seus fatores mais negativos está relacionado com o problema de assim que se coloca algo na cloud, ser virtualmente impossível apagá-lo. Tendo isso em mente, a União Europeia conseguiu há uns meses que os grandes motores de busca, como a Google e o Bing, fossem obrigados a apagar links que sejam alvo de reclamações. Ou seja, foi criado o "direito ao esquecimento" na web. A questão é que o que foi conseguido ainda não é suficiente. Neste momento podemos pedir aos motores de busca que removam a informação apenas num determinados país, por exemplo, podemos pedir que seja removida a informação do www.google.pt, mas se for efetuada uma pesquisa em www.google.com a probabilidade de existirem resultados é bastante grande.

O objetivo é, agora, que o "direito ao esquecimento" seja global e não apenas local. Quem sabe, no futuro, não será possível eliminar quase por completo a nossa presença na Internet.

Ricardo Lage