Opinião.23 Ago 2010

Corrida ao Mobile

A utilização da Internet móvel é cada vez mais uma realidade difícil de ignorar. E nesta corrida não há tempo a perder.

eBay e Amazon são dois exemplos de empresas de comércio electrónico que lideram no universo móvel, gerando anualmente milhares de milhões em negócios efectuados através de dispositivos móveis.

Num estudo efectuado recentemente pela Adobe, dedicado ao comércio electrónico, verificou-se que as empresas estão cada vez mais a investir neste mercado.

Segundo o primeiro estudo criado pela empresa sobre comércio móvel, o Adobe Scene7 Mobile Commerce conclui que 80% das empresas já têm ou pretendem ter um site móvel contra 8% que preferem investir em aplicações para download. Outra conclusão refere que as promoções obtiveram 75% das preferências das empresas como estratégia de negócio a adoptar.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o número de telemóveis vendidos não pára de crescer e, embora o número de minutos gastos em chamadas tenha estagnado, o número de acessos à Internet não pára de aumentar.

Outros dados apontam para um crescimento constante nos próximos anos, o que levará a que em 2020 os acessos à Internet sejam feitos maioritariamente através de dispositivos móveis.

Enquanto Cliente poderia pensar que o número de pessoas que irão aceder ao meu site não compensaria o investimento! Talvez. A verdade é que ainda há muito trabalho pela frente até que a Internet móvel ultrapasse o número de visitas através do computador de casa, mas os dados disponíveis actualmente indicam que um investimento nesta fase pode representar uma vitória. Quer pelo retorno financeiro, quer pelas quotas de mercado que se atingem. Um novo segmento de mercado estará disponível e os primeiros a chegar terão uma clara vantagem.

Do meu ponto de vista, a visibilidade é dos pontos mais importantes para qualquer negócio e não há maior visibilidade do que estar na palma da mão do Cliente final.

Entre nesta corrida.

Estudo Adobe Scene7 2010 Mobile Commerce Survey
Estudo The Future of the Internet III

Ricardo Lage