Códigos QR

Opinião.26 Out 2011

Códigos QR

Já por diversas vezes abordei assuntos sobre tecnologias móveis e como o mundo está cada vez mais no nosso bolso. Desta vez apresento os códigos QR ('Quick Response' - numa tradução literal, Resposta Rápida) que, apesar de não serem uma novidade, ainda se encontram desaproveitados no mercado português.

Um código QR não é mais do que um código de barras a duas dimensões. O propósito desse código é permitir a identificação de um objecto, de um link, de informação que poderá ser recolhida e tratada. O seu objectivo é permitir uma leitura mais rápida da informação em si contida, superando o tempo de leitura e a capacidade de armazenamento do comum 'código de barras'. A versão original do código QR foi desenvolvida pela Denso, uma subsidiária da Toyota para catalogar peças automóveis em 1994.

Com o tempo a sua aplicação expandiu-se e hoje em dia é possível encontrar este tipo de código em revistas, para divulgar informação extra sobre uma peça, em produtos, livros, em qualquer outro objecto.

Com o advento dos dispositivos móveis ('smartphones', 'tablets', 'laptops', etc.) apareceram as aplicações. Existem diversas aplicações disponíveis que permitem a leitura de códigos QR. Isto significa que qualquer utilizador com um smartphone e a aplicação instalada poderá aceder à informação contida nesse código, e com isso tomar conhecimento extra sobre um produto. Pode não parecer muito significativo, mas imagine que está a promover o seu livro e que deseja destacar-se de outro livro que aborda o mesmo assunto. Como deve imaginar o máximo que uma pessoa verá numa livraria será o resumo, o prefácio ou meia dúzia de páginas. Agora dê ao utilizador um código QR, que este utilizará para ver que informações extra estão disponíveis sobre o livro. Essas informações poderão direccionar o utilizador para uma página que lhe apresentará um vídeo ilustrativo do conteúdo do produto que tem na mão.

Não, isto não é ficção. Está a acontecer neste preciso momento e dá uma liberdade aos utilizadores, e a quem publicita, que permite ir mais além e demarcar-se dos restantes produtos de uma forma muito positiva e, falando por experiência própria, muitas vezes divertida e fulcral no momento de decisão.

Imagem: Código QR do website One Small Step

Ricardo Lage