Benchmarking

Opinião. 4 Out 2011

Benchmarking

"Processo contínuo e sistemático que permite a comparação das performances das organizações e respectivas funções ou processos face ao que é considerado "o melhor nível", visando não apenas a equiparação dos níveis de performance, mas também a sua ultrapassagem"
DG III – Indústria da Comissão Europeia, 1996

O Benchmarking tem por base a ideia de que nenhuma empresa é a melhor em tudo, o que implica reconhecer que existe no mercado quem faça melhor em determinadas áreas. Esta constatação desperta o desejo de querer aprender as melhores práticas com as melhores empresas.

Não se trata de uma pesquisa de informação impensada e aleatória mas de um método sistemático de procura da informação. É um processo contínuo, mensurável e em constante actualização, que permite não só adquirir conhecimento sobre as melhores práticas na indústria, no mercado ou na concorrência mas também muitas vezes dentro da própria empresa.

Muitas vezes as empresas caiem no erro de pensarem que apenas devem olhar para os seus concorrentes directos. Nem sempre aqueles que devemos seguir são os que vendem ou que prestam o mesmo serviço que nós. Por vezes basta adaptar as melhores práticas à realidade da empresa.

As empresas devem procurar como parceiros de Benchmarking empresas ou actividades de negócio que são reconhecidas como referências. A pesquisa de parceiros deve ser cuidada, detalhada e precisa. É necessário perceber quais os melhores parceiros e o porquê dessa escolha.

O Benchmarking Empresarial apresenta 4 vertentes: (ver imagem)

Benchmarking Interno – Realizado dentro da própria organização, compara as metodologias utilizadas nos diferentes departamentos ou nas diferentes unidades de negócio.
Dentro de uma organização o Departamento Logístico pode ter muito para ensinar sobre práticas de gestão de negócio ao Departamento Financeiro e neste caso a informação está muito mais acessível.

Benchmarking Competitivo – Empresas concorrentes comparam serviços, produtos, métodos de acção...
Muitas empresas gostavam de saber como é que a empresa líder de mercado consegue praticar certos preços ou consegue alcançar determinado volume de negócios.
Este tipo de Benchmarking torna-se difícil de implementar uma vez que são raras as empresas dispostas a revelar os seus trunfos à concorrência.

Benchmarking Funcional – Incide sobre uma função específica e possibilita a comparação entre empresas não concorrentes. Neste tipo de benchmarking acredita-se que, em grande parte dos casos, as melhores práticas não se encontram no próprio sector.

Benchmarking Genérico - Engloba várias funções da organização, funções essas que estão presentes em várias outras empresas. Normalmente é feito entre empresas da mesma dimensão, mesmo que de sectores diferentes.
Um bom exemplo é o processo desencadeado desde a entrada de um pedido até a entrega do produto ao Cliente, pois é algo presente na maioria das empresas.
É neste tipo de Benchmarking que as empresas estão mais dispostas a colaborar e a ser mais verdadeiras.

Como se trata de um processo que envolve vários intervenientes, muitas vezes com interesses comuns que podem levar à falta de ética, o Benchmarking rege-se por um código de conduta que assegura a reciprocidade na partilha e no uso da informação e a confidencialidade e o respeito pela individualidade dos parceiros.

O Benchmarking tem como objectivo final a melhoria dos processos de negócio e dos resultados da organização mas está dependente de variáveis como a cultura em que a organização se insere e a capacidade e vontade da própria organização em mudar e inovar.

Vera Libânio