Opinião.10 Jul 2015

Banners Responsive

Muitos sites dependem da publicidade como principal rendimento. O método mais comum de introduzir publicidade numa página é através de banners, animados ou não. Com o advento dos dispositivos móveis e, por consequência, do web design responsive, estes anúncios devem adaptar-se aos ecrãs dos mais variados dispositivos.

Os banners têm, na generalidade, dimensões fixas e standart e são vendidos aos anunciantes com base no seu tamanho e na sua posição na página. Um banner no topo do site é mais caro do que um banner no fundo da página, pois é visto imediatamente quando a página é carregada, atraindo mais atenção. Muitas das vezes, nos dispositivos móveis, não é possível manter nem o tamanho nem a posição do banner na página, sendo difícil de explicar ao anunciante que o seu anúncio não vai ter o mesmo destaque que na versão desktop.

Com a necessidade atual de adaptar as dimensões dos vários elementos de um site a um leque enorme de dispositivos, os anúncios publicitários não podem ser esquecidos. Também os banners devem ser vistos como elementos responsive que se adaptam a qualquer largura do ecrã e que mantêm um destaque semelhante, qualquer que seja o dispositivo.

Cada vez surgem mais ferramentas que procuram ajudar quem elabora banners a fazer a transição para o novo paradigma do web design responsive. A Google lançou o software, ainda em estado beta, Google Webdesigner, uma ferramenta que pretende facilitar a criação de elementos responsive animados.

Ao adoptar banners responsive nas soluções web é possível criar uma estrutura que não esteja dependente dos tamanhos fixos dos anúncios e tornar toda a experiência de navegação mais fluida com uma integração natural destes elementos nas páginas.

Bruno Gouveia