Opinião.24 Mai 2010

As Marcas e os Blogs

As empresas ao longo dos tempos têm-se apercebido de algumas mudanças no comportamento dos consumidores, mudanças essas proporcionadas pela Web 2.0 na qual o indivíduo tem um papel activo na criação e disseminação da informação.

O crescente aumento de blogs pessoais, nos quais as pessoas falam sobre temas específicos ou somente do seu dia-a-dia, são um desafio para as empresas pois são um meio no qual não conseguem controlar o que é dito sobre elas. Experiências positivas e negativas com determinadas marcas são escritas e discutidas entre os diversos visitantes de um blog. Se por um lado esta é uma forma de publicidade gratuita, por outro é uma publicidade que foge ao controlo das marcas que cada vez mais têm necessidade de estar permanentemente atentas ao que se diz sobre elas quer em blogs , quer em fóruns, quer em redes sociais.

Em 2009 um estudo da Nielsen revelou que 90% das pessoas confiam nas recomendações de conhecidos e 70% confiam em opiniões gerais de consumidores publicadas online, apenas 33% confiam em banners publicitários.

Perante este cenário as empresas recorreram não só à criação de blogs empresariais, numa tentativa de se mostrarem mais acessíveis e disponíveis aos consumidores, mas também à associação a bloggers influentes junto dos seus potenciais Clientes.

As marcas mais atentas perceberam que em vez de uma ameaça esta realidade poderia ser uma oportunidade e associaram-se a blogs através de passatempos, quer em blogs de determinada temática quer simplesmente em blogs com sucesso junto dos utilizadores.

Passatempos como ofertas de viagens, roupa, tratamentos de beleza, etc estão presentes em vários blogs . Uma estratégia bem pensada uma vez que os leitores vão associar o blogger de que tanto gostam e com quem se identificam àquela marca e vão também eles associar-se a ela.

Os passatempos pressupõem quase sempre uma acção no website , ou no perfil corporativo da empresa numa qualquer rede social levando assim o leitor a conhecer e interagir com a marca se quiser habilitar-se ao prémio.
Esta estratégia de comunicação revela inteligência por parte das marcas pois é de custo bastante reduzido, possivelmente nulo, e permite um aumento da notoriedade e fiabilidade perante o consumidor, ao mesmo tempo que possibilita alguma influência sobre o que é dito sobre elas neste meio.

Como diz o ditado "Se não os podes vencer, junta-te a eles!".

Vera Libânio