Opinião. 8 Mai 2015

A integração tecnológica é (só) limitada pela imaginação

Temos assistido a um crescimento da integração tecnológica na nossa vida a um ritmo impressionante.

Depois do surgimento de novas ferramentas tecnológicas, verifica-se, de há uns tempos a esta parte, uma crescente integração da tecnologia em áreas onde esta não estava presente e noutras onde já era usada e que continua a tirar partido das inovações que todos os dias nos são apresentadas.

Exemplo do primeiro ponto é a parceria entre a Samsung e a Samsonite que se encontram a desenvolver novas malas de viagem, inteligentes.

Imagine ter uma aplicação no telemóvel que lhe diz a todo o momento exactamente onde se encontra a sua mala, tirando partido da geolocalização. Que lhe envia um alerta sempre que esta é aberta ou quando se afasta demasiado dela. Não sendo uma inovação, pois já há marcas como a Bluesmart ou a Delsey que também desenvolveram malas com novas funcionalidades, a Samsonite pretende destacar-se tornando a mala autónoma, permitindo que esta se desloque sozinha, que acompanhe o utilizador para todo o lado. Outro objectivo é a integração na mala de um chip que comunique com as companhias aéreas indicando-lhes o peso e o destino, dispensando assim o check-in. A mala seria deixada num ponto de recolha e daí o processo seria automático.

Uma outra área que continua a tirar partido das inovações tecnológicas é a automóvel. As últimas notícias indicam que o Apple Watch virá a permitir abrir e fechar carros Volkswagen. Já anteriormente BMW, Hyundai e Ford tinham feito anúncios semelhantes, que iriam lançar aplicações para o smartwatch que permitiriam realizar um conjunto de tarefas usando este interface. No caso da Volkswagen a novidade tem a ver com o elevado número de modelos que terão esta funcionalidade disponível.

Com a contínua inovação e o aparecimento de novas tecnologias ou ferramentas de base tecnológica, continuaremos a assistir a este tipo de movimentações na indústria. A imaginação continuará, por enquanto, a ser o limite.

Ricardo Lage