Oscar Niemeyer

Opinião. 7 Dez 2012

"A arquitetura é um passatempo"

A frase que dá o título ao post de hoje é do arquiteto Oscar Niemeyer e, quando preparei o post desta semana, estava longe de imaginar que esse não seria publicado, pelo menos desta vez, para que pudesse, também eu, dedicar-lhe a minha homenagem.

O mundo como o conhecemos muda constantemente e a velocidades diferentes, no meio de um furacão de onde surgem ideias novas, que não precisam de ser muito diferentes das já existentes, basta não serem iguais. Quero com isto dizer que, no caso de Oscar Niemeyer, bastou a introdução de uma linha curva, que nos dias de hoje será banal, para que ele ficasse para sempre na história da arquitetura. Claro que há muito a dizer sobre essa linha, mas isso é outra história. O que penso que é importante guardar é que muitas vezes encontramos na simplicidade e no que parece impossível aos olhos de uns, o possível e o virar de uma página da história nos olhos de outros.

Nesta vida fazemos escolhas, nem sempre acertadas, mas basta um momento de inspiração, um momento de humildade para nos demarcarmos dos demais e inscrevermo-nos nos livros da história. São muitos os nomes que poderia enumerar, mas hoje, o espaço é de Niemeyer e enúmero não outros grandes homens, mas algumas das obras que projetou, entre elas, o sambódromo, a quase totalidade da cidade de Brasília e o edifício da ONU que desenhou em parceria com o arquiteto francês Le Corbusier.

"A gente tem é que sonhar, senão as coisas não acontecem". Sonhemos, e com o sonho, façamos do mundo um lugar melhor, porque "A vida nos leva pra onde ela quer. Cada um vem, escreve sua historinha e vai embora. Não vejo segredo em levar a vida".

Ricardo Lage